Artur CarNAvalha Gumes - Afora a TropicanAlice Metaforas à Parte soy de Campos soy Canalha


27/10/2006


Origami

Logo cedo solidão
Dobras de dentro
Cabeça do cata vento
Porta aberta janela do tempo
Curva da reta ao avesso
Roda pião do mundo ao contrario
Difuso dia horário
Horizonte inverso solitário
Pensamento longe do barco
Mar sempre adiante
Largo longo gigante
Abismos do navegar
Mundo grande
Um ar carrossel de folhas
Risco lápis ao léu
Linha na pipa carretel
E nas mãos um só brincar
Em folhas de papel

MARKO ANDRADE

http://almadepoeta.com/fulinaima.htm

 

Escrito por artur gomes às 16h05
[ ] [ envie esta mensagem ]

23/10/2006


artur gomes e césar castro - foto: oscar wagner

Escrito por artur gomes às 18h18
[ ] [ envie esta mensagem ]

 

Vermmer Além da Alma –

Variações sobre o mesmo Tema

 

César Castro – TransPirações Gráficas

Artur Gomes – Poemas

 

 

 Jura Secreta 22

 

cezane não pintava flores

montado em seu cavalo alado

                         despeja cores

no corpo da mulher amada

 

com os pincéis

encravado entre as coxas

transformou holandas

                                 em quintais de vento

reINventou o tempo

                                 na hora de pintar.

 

arturgomes

http://almadepoeta.com/fulinaima.htm

 

De 22/11 a 20/12 – Galeria - Sesc Campos

Realização: Sesc Rio de Janeiro    

Escrito por artur gomes às 17h09
[ ] [ envie esta mensagem ]

22/10/2006


daniela passaos lendo e ouvindo no movimento inVerso - barteliê setembro 2006

Escrito por artur gomes às 18h44
[ ] [ envie esta mensagem ]

Transcendental

 

tua respiração aqui agora boca a boca

transcende e ultrapassa telas e planos

    e todas outras dimensões do corpo

ou qualquer alma que nunca soube do amor

                             entre a mais sensível pele

quando as pétalas se abrem e se fecham

           quando chove ou quando é brisa

e tua coisa livre e feminina

        me traz a embriaguez

enquanto  amantes

devoram-nos entre os lençóis

                    em qualquer arte

e a parte mais quente do poema

se instala entre a língua e a fala

                             ou quando calo

                             para o gozo neste instante

 

artur gomes

http://www.almadepoeta.com/fulinaima.htm

 

 

 

Escrito por artur gomes às 18h41
[ ] [ envie esta mensagem ]
Busca na Web:

Histórico