Artur CarNAvalha Gumes - Afora a TropicanAlice Metaforas à Parte soy de Campos soy Canalha


26/05/2006


stela star estrela

paixão: que bom

poder-te tê-la

 

Escrito por artur gomes às 16h04
[ ] [ envie esta mensagem ]

Fuxico de Passarim


Cadê rouxinol
cadê bico de brasa
cadê tico-tico
cadê fogo pagou
será que de tanto
ouvir meu penar
avoaram e se foram
buscar meu amor

Cadê jaçanã
cadê bem-te-vi
cadê sabiá
que hoje não cantou
será que de tanto
ouvir meu lamento
avoaram e se foram
buscar meu amor

Que todo mundo sabe
periquito já contou
arara já deu notícia
joão de barro espalhou
juriti anda dizendo
que tou rouxinha de amor

Lília Diniz –
miolo de pote da cacimba de beber – 2ª edição revisada e ampliada – edições lamparina/2006

Escrito por artur gomes às 15h50
[ ] [ envie esta mensagem ]

cuánto silencio es preciso
para hacer un poema?
                        A Artur Gomes
 
el silencio de la soledad y de las puertas
de la imaginación, del mundo
del viento, de las aguas y de los gatos
el silencio del blanco
mucho ruido para nada
silencio, silencio, el silencio
y algunas palabras
 
cristiane grando
traducion: leo lobos

Escrito por artur gomes às 10h05
[ ] [ envie esta mensagem ]

cristiane grande - leo lobos

Escrito por artur gomes às 10h02
[ ] [ envie esta mensagem ]

25/05/2006


BraziLírica Pereira: A Traição das Metáforas

ou federico baudelaire reINventando a Tropicália

 

as asas de diadorim

cortaram as asas de alkmim

o cotidiano todo dia me envergonha

por mais que o são francisco em mim transponha

e  peixe aqui não vai nadar em mar algum

tietê vai desaguar lugar nenhum

 

foto.grafias grafitadas na fala

parangolés e poemas ao vento

oiticica por todo canto

o que é tropical: tudo mais reINvento

 

fevereiro já pensando flávia

em março cachoeiro amanda

o corpo morto de fome

a alma em retalhos na venda

 

acelerador fundo no poço

mariana  bem-te-vi  re/fazenda

poesia na flor do osso

como uma colcha de renda

 

federico Baudelaire

mestre sala do grêmio recreativo e escola de samba

mocidade independente de padre olivácio

http://federicobaudelaire.zip.net

http://ademirbacca.blogspot.com

http://www.grandolobos.blogspot.com/

http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=1864412

 

 

 

Escrito por artur gomes às 12h17
[ ] [ envie esta mensagem ]

Escrito por artur gomes às 12h17
[ ] [ envie esta mensagem ]

24/05/2006


Muy de tarde en tarde,
muy de cuando en vez...

 

las campanas indicaban el fin de la época
del hastío

las niñas y los niños cantaban
canciones de moda

algunos que estaban
allí desde los tiempos antiguos
soñaban
con el vuelo de las águilas

nuevos y viejos
habitaban bajo
el
mismo techo

 

Leo Lobos

http://www.letras.s5.com/archivoleolobos.htm

 

Escrito por artur gomes às 12h51
[ ] [ envie esta mensagem ]

23/05/2006


Escrito por artur gomes às 18h14
[ ] [ envie esta mensagem ]

O sol nas noites e o luar nos dias

De amor nada mais resta que um Outubro
e quanto mais amada mais desisto:
quanto mais tu me despes mais me cubro
e quanto mais me escondo mais me avisto.

E sei que mais te enleio e te deslumbro
porque se mais me ofusco mais existo.
Por dentro me ilumino, sol oculto,
por fora te ajoelho, corpo místico.

Não me acordes. Estou morta na quermesse
dos teus beijos. Etérea, a minha espécie
nem teus zelos amantes a demovem.

Mas quanto mais em nuvem me desfaço
mais de terra e de fogo é o abraço
com que na carne queres reter-me jovem.

 

Natália Correia – poeta portuguesa

http://balckbilly.blogspot.com

 

Escrito por artur gomes às 17h04
[ ] [ envie esta mensagem ]

22/05/2006


Escrito por artur gomes às 11h53
[ ] [ envie esta mensagem ]

Alucinações Interpo(É)ticas

 

o que é que mora em tua boca Bia?

um deus um anjo ou muitos dentes claros

como os olhos do diabo

e um a estrela como guia?

 

o que é que arde em tua boca Bia?

azeite sal pimenta e alho

résteas de cebola

um cheiro azedo de cozinha

tua boca é como a minha?

 

o que é que pulsa em tua boca Bia?

mar de eternas ondas

que covardes não navegam

rios de águas sujas

onde os peixes se apagam

ou um fogo cada vez mais Dante

como este em minha boca

de poeta delirante

nesta noite cada vez mais dia

em que acendo os meus infernos

em tua boca Bia?

 

Artur Gomes

In Fulinaíma Sax Blues Poesia

http://arturgomes.zip.net

http://babycadelinha.blogspot.com

http://federicobaudelarie.zip.net

 

 

 

 

Escrito por artur gomes às 11h47
[ ] [ envie esta mensagem ]
Busca na Web:

Histórico