Artur CarNAvalha Gumes - Afora a TropicanAlice Metaforas à Parte soy de Campos soy Canalha


11/02/2006


na tele
visão
dentro
do bar
mangueira
verde
rosa
eu vejo
sentado
à porta

e minha
vida
torta
passa
num re-lance
sentado
na cadeira

domingo
vou a feira
expor
artesanato
se der empate
eu desampato
o jogo
do palmeira

Escrito por artur gomes às 15h13
[ ] [ envie esta mensagem ]

Escrito por artur gomes às 15h05
[ ] [ envie esta mensagem ]

Escrito por artur gomes às 15h02
[ ] [ envie esta mensagem ]

Escrito por artur gomes às 15h01
[ ] [ envie esta mensagem ]

Escrito por artur gomes às 15h00
[ ] [ envie esta mensagem ]

Escrito por artur gomes às 14h59
[ ] [ envie esta mensagem ]

10/02/2006


mamãe coragem

numa canção do lenine
o peixe está na rede
o mar está com sede
o rio agora chora

onde esta cidade pedra
veracidade medra
eu te esfinjo drama

onde a ferocidade fedra
eu te desejo deda
eu te devoro dama

pensando a trama do torquato
eu disse mamãe coragem
a vida é sagaranagem
fulinaíma é viagem
te levo na minha bagagem
não chora mamãe não chora

artur gomes
http://arturgomes.zip.net
http://carnavalha.zip.net
http://www.soundclick.com/bands/fulinaimaoutrasvozesoutrasfalas
http://www.soundclick.com/bands/arturgomesfulinaima



Escrito por artur gomes às 09h02
[ ] [ envie esta mensagem ]

09/02/2006


Toda Nudez Não Será Castigada

 

roberta agora

só se for cainelli

bruna só se for polleto

 

vestido

pode ser a pele

que encobre

a nudez do esqueleto

 

o beijo agora

só se for ao vivo

e-mail só se for inteiro

 

fantasia

só se for de tanga

camila agora

 só se for pitanga

 

e carnaval

a gente transa

em fevereiro

 

Artur Gomes

http://sagaranagens.zip.net

Escrito por artur gomes às 22h35
[ ] [ envie esta mensagem ]

08/02/2006


Recordo Ainda
 
recordo ainda... e nada mais me importa...
aqueles dias de uma luz tão mansa
que me deixavam, sempre, de lembrança
algum brinquedo novo à minha porta...
mas veio um vento de desesperança
soprando cinzas pela noite morta!
e eu pendurei na galharia torta.
todos os meus brinquedos de criança...
estrada afora após segui...
mas, aí, embora idade e senso eu aparente
não vos iludais o velho que aqui vai:
eu quero os meus
brinquedos novamente!
sou um pobre menino... acreditai!...
que envelheceu um dia de repente!...
 
 
Mário Quintana
1906 - 2006
 
 

Escrito por artur gomes às 12h28
[ ] [ envie esta mensagem ]

Escrito por artur gomes às 12h28
[ ] [ envie esta mensagem ]

Escrito por artur gomes às 12h28
[ ] [ envie esta mensagem ]

Escrito por artur gomes às 12h27
[ ] [ envie esta mensagem ]

Escrito por artur gomes às 12h26
[ ] [ envie esta mensagem ]

Escrito por artur gomes às 12h26
[ ] [ envie esta mensagem ]

07/02/2006


Os Poemas
 
os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.
quando fechas o livro, eles alçam vôo
como de um alçapão.
eles não têm pouso
nem porto
alimentam-se um instante em cada par de mãos
e partem.
e olhas então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhoso espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti...
 
Mário Quintana
1906 - 2006
 
 
 
 
 

Escrito por artur gomes às 11h01
[ ] [ envie esta mensagem ]

06/02/2006


Travessia
 
de almada
vou atravessar o tejo
barco a vela
portugal afora
em lisboa
vou compor
um fado
e cantar no porto
feito
um blues rasgado
de amor
pela senhora
que me espera
em paz
e todo vinho
que eu beber
agora
será como beijo
que eu guardei
inteiro
como um marinheiro
que retorna ao cais
 
Artur Gomes
viagens insanas
 

Escrito por artur gomes às 18h48
[ ] [ envie esta mensagem ]

Escrito por artur gomes às 16h21
[ ] [ envie esta mensagem ]

Escrito por artur gomes às 16h20
[ ] [ envie esta mensagem ]

Escrito por artur gomes às 16h19
[ ] [ envie esta mensagem ]
Busca na Web:

Histórico